Ana Lúcia apela em defesa da Amazônia e destaca Dia da Fibrose Cística

Escrito por Débora Melo Ligado TPL_WARP_PUBLISH . Publicado em Notícias

A deputada estadual Ana Lúcia ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira para registrar a passagem de duas importantes datas: o Dia da Amazônia e o Dia Estadual de Conscientização e Divulgação da Fibrose Cística, instituído pela Lei 8163, de sua autoria.

A Lei regulamenta que o Estado poderá realizar anualmente, no dia 5 de setembro, atividades com o intuito de conscientizar a população, em especial os gestores e os profissionais da área de saúde, sobre a importância do diagnóstico precoce e do tratamento adequado da Fibrose Cística. Outro objetivo é divulgar a acessibilidade, nos serviços públicos de saúde, aos medicamentos indicados para seu tratamento.

“Este é um dia de divulgação e luta para que todos nós possamos ter conhecimentos sobre a gravidade dessa doença”, destacou Ana Lúcia. Ela lembrou que, desde o dia 1º. de Setembro, a ALESE e da Escola do Legislativo deveriam estar com iluminação lilás, em alusão ao mês de mobilização da sociedade em torno do tema. “Esta é a cor que simboliza dos que lutam pela conscientização sobre a Fibrose Cística”, explicou.

Também conhecida como Doença do Beijo Salgado ou Mucoviscidose, a fibrose cística é uma doença genética, ainda sem cura, mas que se diagnosticada precocemente e tratada de maneira adequada, o paciente poderá ter uma vida praticamente normal, dentro de seus limites. A doença pode ser identificada através do teste do pezinho e seu diagnóstico pode ser confirmado através do teste do suor, ou ainda através de exames genéticos.

Amazônia em risco

O Dia da Amazônia também foi objeto de pronunciamento de Ana Lúcia. Ao reforçar a importância da data, a deputada lamentou a liberação, por parte do governo golpista de Michel Temer, da Reserva de Cobre (ou RENCA) para exploração por parte das corporações internacionais de mineração, através do decreto 9.142 de 22 de agosto de 2017. O governo suspendeu temporariamente o decreto, por 120 dias, mas isso não assegura a manutenção da reserva.

“Não dá para continuar esta política de privatização e de entrega da nossa riqueza ao capital internacional. Ele [Temer] está entregando as melhores reservas de cobre do país, um local onde também tem ouro e que é uma reserva ambiental do tamanho dos estados de Sergipe e Alagoas somados”, criticou.

Ana Lúcia informou que a Frente Parlamentar Mista de Meio Ambiente, Segurança Alimentar, Comunidades Tradicionais e Povos de Terreiro, coordenada por ela, apresentará uma Moção de Apelo para que seja revogado este decreto e não apenas suspenso. “Espero que hoje, que é quando se marca o Dia da Amazônia, nós possamos iniciar um forte movimento em Sergipe para reverter este decreto”, finalizou a deputada.